Balanço Energético do Estado

O Balanço Energético do Estado de Goiás – BEGO é um documento estatístico elaborado periodicamente pela Gerência de Energia e Telecomunicações, da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos - SECIMA, com o objetivo de divulgar informações de produção, importação, exportação, transformação e consumo de energia, permitindo o conhecimento da matriz energética do estado de Goiás.

Com a publicação deste documento, a SECIMA disponibiliza à sociedade acesso a um banco de dados estatístico das diferentes fontes de energia, informações preciosas para o planejamento, a pesquisa e o desenvolvimento de políticas energéticas sustentáveis.

Destaques de Energia

Apresenta-se, resumidamente, a aná­lise dos principais movimentos referentes à produção e ao consumo de energia em 2016 em comparação com o ano anterior, para as prin­cipais fontes energéticas: biodiesel, produtos da cana, energia elétrica, e outras.

O Balanço Energético do Estado de Goiás - 2017 inicia a publicação das informações refe­rentes à micro/minigeração distribuída de energia elétrica, cujo crescimento foi incenti­vado por ações regulatórias nacionais e pelo Programa Goiás Solar, tais como a que estabelece a possibilidade de compensação da energia excedente produzida por sistemas de menor porte (net metering). Em 2016, a micro/minigeração distribuída atingiu uma potência instalada de 1.555 kW, chegando ao final de 2017 a 7.663 kW, com destaque para a fonte solar fotovoltaica. 

Biodiesel

Em 2016 o montante de B100 importado atingiu 180.367 m3, valor 11,2% menor que no ano anterior. O percentual de B100 adicionado compulso­riamente ao diesel mineral manteve-se em 7%, sendo a principal matéria-prima o óleo de soja (72%) e o sebo bovino (14%).

Cana-de-Açúcar, Açúcar e Etanol

De acordo com o Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (SIFAEG), a produção de cana-de-açúcar na safra 2016/2017 alcançou 67,6 milhões de toneladas; montante 8,0% inferior à safra anterior. No mesmo período, a produção de açúcar foi de 2,1 milhões de toneladas, alta de 11,0% em relação à safra anterior.

Já a fabricação de etanol caiu 8,0%, atingindo um montante de 4.304 mil m³; deste total, 69,8% referem-se ao etanol hidratado: 3.006 mil m³. Já a produção de etanol anidro, que é mis­turado à gasolina A para formar a gasolina C, totalizou 1.298 mil m³, que representa 30,2% do total de etanol.

O ATR (Açúcar Total Recuperável), indicador que representa a quantidade total de açúcares da cana (sacarose, glicose e frutose), registrou média de 140,63 ATR/tonelada de cana para a safra 2016/2017.

Energia Elétrica

O estado de Goiás dispõe de uma matriz elétrica de origem predominantemente renovável (95,2%), com destaque para a fonte hídrica, que responde por 83,5% da potência instalada; e a biomassa – bagaço da cana, biogás e resíduos florestais –, que representa 11,6%. A capacidade total instalada de geração de energia elétrica em Goiás alcançou 11.000 MW.

A produção de energia elétrica em Goiás em cen­trais de serviço público e autoprodutores atingiu 27.450 GWh em 2016, resultado 14,2% menor que o 2015.

As centrais elétricas de serviço público, com 84,8% da geração total, permanecem como prin­cipais contribuintes. A principal fonte é a hidráulica, que apresentou uma retração de 13,9% em comparação com o ano anterior. Já a geração de autoprodutores participou com 15,2% do total produzido.

Quanto ao consumo total de eletricidade, de 14.198 GWh, houve pequeno incremento de 1,3% em relação ao ano anterior, com destaque para o setor agropecuário, que aumentou o consumo de energia elétrica em 10,1%; os setores público e industrial também tiveram variação positiva, com 4,3% e 1,9%, respectivamente. Apenas os setores comercial e residencial registraram tendência contrária aos demais setores, com redução de 3,1% e 0,4%, respectivamente.

Em relação à representatividade no consumo de eletricidade total, os setores industrial e residencial têm maior parcela, de 4,48 GWh e 4,47 GWh, respectivamente; enquanto o setor comercial consumiu de energia elétrica 2,33 GWh.

Considerando as perdas no sistema de transmissão e distribuição, o consumo total de eletricidade em Goiás somou 16.142 GWh, que representa 58,8% da energia elétrica produzida; a diferença de 41,2% é a percentagem de eletricidade que Goiás exporta pra o Sistema Elétrico Nacional.

Acesse o Balanço Energético do Estado de Goiás Completo